Militante comunista galego é detido e preso na Itália a meio dum espectacular operativo

Mais informaçom: http://www.ceivar.org

A coordenaçom e planificaçom da repressom a escala europeia é um facto relativamente novo a trazer em conta no desenvolvimento dos movimentos de emancipaçom nacional e social. A recente detençom na Itália e ingresso em prisom de António Lago Iglésias ‘Guille’ volve colocar no primeiro plano da actualidade esta realidade: o militante galego do organismo anti-repressivo ‘Socorro Rojo Internacional’ era detido por efectivos da Polícia italiana no 10 de Agosto e internado na prisom de máxima segurança de Novara, no norte do Estado italiano.

A detençom produziu-se, segundo SRI, trás umha espectacular operaçom policial em que Lago Iglésias aparece acusado como coordenador da organizaçom armada Grapo a nível europeu. Lembramos que, sob esta mesma acusaçom, o comunista galego cumprira condena de quase 3 anos de cárcere no Estado francês saindo em 2005. Actualmente, encontrava-se confinado em Paris sem poder abandonar a capital francesa devido à ordem internacional de procura e captura decretada polo Estado espanhol, que desrespeita o facto de António Lago nom ter ‘delitos’ pendentes no território estatal. Foi, segundo o SRI, no decurso dumha viagem a Roma do militante galego para visitar a sua companheira e filhos que se produzia a detençom.

Além da condena de quase três anos no Estado francês, António Lago Iglésias cumprira umha outra de 20 anos de prisom no Estado espanhol pola sua militáncia na organizaçom armada espanhola Grapo. A acusaçom que pesa actualmente sobre o militante galego é ser responsável polas relaçons internacionais dos Grapo com outras organizaçons terroristas e ideólogo da reorganizaçom das novas Brigatte Rosse. Os mass mídia espanhóis apresentárom a detençom de ‘Guille’ junto a outros dous brigadistas italianos como prova da citada acusaçom policial.

Activista na solidariedade internacional

As acusaçons contra o militante galego resultam ainda mais surpressivas se trazemos em conta que o Ministério de Interior espanhol declarara em Junho de 2007 que o Grapo ficara desarticulado e sem militante algum. Apontar também como dado relevante que Lago Iglésias é muito conhecido na esquerda revolucionária europeia polo seu trabalho de solidariedade internacionalista na Itália, a Turquia, o Curdistám, o Estado francês, Euskal Herria, a Bélgica, a Suíça, a Alemanha, etc.

O organismo anti-repressivo em que actualmente desenvolvia a sua militáncia vem de denunciar num comunicado este novo acto repressivo contra a nossa organizaçom e a nossa militáncia e também a mascarada que o governo fascista espanhol já terá preparada contra o nosso camarada. Denuncia ‘Socorro Rojo Internacional’ que sob a tese da Audiência Nacional espanhola de que Todo é Grapo, que afecta policial e judicialmente militantes e estruturas que desenvolvem o seu trabalho político na legalidade, um novo solidário será condenado a prisom durante anos.

Envio de correio

O organismo anti-repressivo chama a enviar postais e correspondência ao político retaliado polo Estado italiano sob a premisa de que hoje toca-lhe a ele (...), amanhá pode-nos tocar a qualquer de nós. O destino penitenciário actual de António Lago Iglésias é o que segue a continuaçom:

Antonio Lago Iglesias
Carcere de Novara
Via Sforzesca 49
I-2810 Novara
Italia

De Ceivar denunciamos esta nova operaçom repressiva contra a militáncia de SRI, que vem engadir-se aos processos judiciais encenados na Audiência Nacional espanhola nos últimos dous anos e trata de desactivar por via policial e judicial o trabalho anti-repressivo e de solidariedade desenvolvido por este organismo.